Comentários e Notas: NJPW Power Struggle 2021

No último dia 6 de novembro, a NJPW realizou o seu evento mais recente, o Power Struggle. Em uma noite de ação, a empresa apresentou 9 combates de qualidade… mas será que foram mesmo ? Bem-vindos a mais uma edição do Comentários e Notas, o quadro onde avaliamos as lutas dos principais eventos das principais empresas atualmente no pro-wrestling.

Antes de começarmos, deixa eu dar um recado importante: O sistema de notas NÃO reflete sobre o que essas lutas aqui foram se comparadas com outras. Explicando melhor, não é porque uma luta aqui é nota 10 que ela se compara com lutas que foram 5 estrelas, nada disso, porém, pro padrão que o evento se propôs a apresentar, ela foi nota 10, deu pra entender direitinho ? Sem mais delongas, bora lá:

Kosei Fujita e Ryohei Oiwa vs. Suzuki-Gun

Assim como aconteceu com todos os outros young lions que passaram pela NJPW, as lutas de Fujita e Oiwa são feitas como modo de aprimoramento. Elas não são feitas pra você gostar ou achar boas e tá tudo bem, o ponto é ajudar os moleques e raramente vão passar de ruins/medianas. Enfrentando DOUKI e Yoshinobu Kanemaru, que não são primores em questão de puroresu, a luta foi simplesmente feita pra ir até a cozinha, pegar aquele café e voltar pra já começar a outra luta.

Vencedores: DOUKI e Yoshinobu Kanemaru – Nota: 4/10

Bullet Club vs. Tiger Mask e Great Bash Heel

Essa luta aqui foi o exemplo perfeito do que é uma bagunça. É sempre difícil ter uma luta coerente ou minimamente mediana de 6 pessoas em 5 minutos, então eles nem tentaram fazer isso, algo bem compreensível pra falar a verdade. É ainda mais difícil com um bando de lutadores lentos como os envolvidos aqui, então basicamente fizeram com que todos tivessem alguns pequenos spots soltos, mas nenhuma construção ou algo de muito interessante pra ser analisado.

Vencedores: Gedo, Jado e Tanga Loa – Nota: 4,5/10

Los Ingobernables de Japón vs. Six or Nine e Yuji Nagata

Outra luta de 6 caras que mais uma vez foi curta demais pra conseguirmos analisar algo de destaque, mas pelo menos teve por volta de 2 minutos adicionais e ajudou a não torná-la tão chata e entediante como a anterior. Se formos considerar o card inferior do show, essa foi a melhor luta dentre as 3 apresentadas. Hiromu Takahashi e Ryusuke Taguchi mostraram algumas trocas de golpes interessantes aqui, BUSHI e Master Wato também. O resultado foi lógico e não tem muito o que fugir, vamos ver quem vai se destacar no Best of The Super Juniors agora.

Vencedores: BUSHI, Hiromu Takahashi e SANADA – Nota: 6/10

CHAOS vs. House of Torture

Essa luta aqui é difícil de analisar, mas teve boas partes. Ishii e SHO mostraram uma ótima química e tiveram uma sequência legal no começo, até EVIL e YOSHI-HASHI mostraram algumas coisas legais juntos. O trecho final entre eles foi bom, mas o grupo do EVIL aparentemente sempre encontra uma maneira de matar as coisas legais, então tivemos várias interferências de Dick Togo e algum uso de armas também. Eu até gostei de como a CHAOS conseguiu lutar contra a trapaça. No entanto, eu não gostei do final e realmente odeio que eles tenham acabado com a incrível jornada da CHAOS desse jeito.

Vencedores: EVIL, SHO e Yujiro Takahashi – Nota: 6/10

Great-O-Khan vs. Toru Yano

Essa foi a primeira vez que eu vi uma luta amadora de wrestling dentro de um show de pro-wrestling (Não lembro se isso já aconteceu antes), e foi nada mais e nada menos do que ok. Uma luta que eu achei estranha por ser justa, afinal, o Khan é o típico heelzão e ver ele lutando como um face durante um combate por causa da estipulação é pouco usual. Porém, a luta foi uma das melhores que eu vi envolvendo o troféu do KOPW, o problema é que isso não muda o fato de ter sido feita pra ir pegar outro café.

Vencedor: Toru Yano – Nota: 5,5/10

El Desperado vs. Robbie Eagles

Tivemos uma excelente luta entre os Juniors aqui, Robbie Eagles e El Desperado mostraram um ótimo desempenho no que foi uma das melhores lutas do show, até mesmo melhor do que a outra luta deles em 2021. O trabalho braçal desses dois foi ótimo, e a venda dos golpes foi excelente por parte de ambos. Ver o Eagles gritando de desespero no final por causa do golpe de Desperado foi um momento emocionante, sem contar que a vitória do Desperado serviu como uma redenção por ter perdido seus outros cinturões.

Vencedor: El Desperado – Nota: 7,5/10

Hiroshi Tanahashi vs. KENTA

Não foi uma luta ruim, mas parecia muito sem vida. Especialmente o começo, essa parte foi uma chatice sem fim. O High Fly Flow atravessando a mesa foi o melhor momento e foi um pouco desconexo da luta. Os últimos minutos foram bons no geral, mas não acho que a mudança de título seja boa. Eu queria ver KENTA conquistar esse título, mas também queria um reinado mais longo para Tanahashi, assim como eu queria um grande reinado para o Lance Archer. Resumindo, essa luta foi muito longa, já que eles não conseguiram preencher o tempo e a mudança de título no final foi uma divisora de opiniões.

Vencedor: KENTA – Nota: 6,5/10

Kazuchika Okada vs. Tama Tonga

Uma luta muito boa que, do meu ponto de vista, foi inferior a que eles tiveram no G1 pelo resultado previsível. Sejamos honestos, ninguém acreditava que Okada perderia aqui, então, basicamente, tantas trocas de golpes foram feitas só pra dar um gás na luta e não deixar ela cair total no esquecimento. E o domínio lá no começo foi um pouco chato, mas no geral concordo com todos que no mês passado Tama Tonga, com a ajuda do Okada, fez duas das melhores lutas da carreira dele.

Vencedor: Kazuchika Okada – Nota: 8/10

Shingo Takagi vs. Zack Sabre Jr

Quase no mesmo nível da luta que eles tiveram no G1, quase. Embora eu soubesse que o resultado estava bem claro, ainda assim foi uma luta excelente. Foi uma mistura dos golpes poderosos de Shingo e as habilidades técnicas de ZSJ e foi maravilhoso. Shingo lutou para escapar do jogo sujo de Zack usando seus habituais golpes de submissão. A venda dos golpes foi ótima e gostei de como Zack vendeu a dor no pescoço logo depois de ser torcido por Shingo alguns momentos atrás. Foi uma luta até que arrastada durante alguns pequenos pontos, mas a qualidade não foi afetada.

Vencedor: Shingo Takagi – Nota: 9/10

Pra mim, a nota geral do evento foi um 7,5. O evento em si foi mediano, mas três das últimas quatro lutas salvaram e MUITO. Serviu mais como o principal show antes dos últimos torneios do ano e futuramente o Wrestle Kingdom em 2022, então conseguiu cumprir seu propósito de construir melhor as rivalidades, principalmente entre Shingo Takagi e Kazuchika Okada.

Concorda ou não ? Coloca sua opinião aí nos comentários e bora discutir saudavelmente, belezinha ? Até mais!

ABRIR COMENTÁRIOS