Darby Allin revela detalhes sobre a sua inclusão na Anarchy in the Arena Match no AEW Double or Nothing

Darby Allin, conhecido por sua resiliência quase sobre-humana, passou por um período desafiador antes de se juntar ao combate Anarchy in the Arena no AEW Double or Nothing. Allin, que fraturou o pé em março durante os preparativos para escalar o Monte Everest, sofreu ainda mais adversidades ao ser atingido por um ônibus em New York no dia 27 de abril, resultando em um nariz quebrado.

Apesar dos contratempos, Allin fez seu retorno à programação da AEW no Dynamite de 15 de maio. Ele substituiu Eddie Kingston, que estava lesionado, formando equipe com Bryan Danielson e FTR (Cash Wheeler e Dax Harwood) para enfrentar Kazuchika Okada, Matthew Jackson, Nicholas Jackson e Jack Perry, da The Elite.

Em uma entrevista concedida a Sean Ross Sapp, do Fightful, antes do pay-per-view, Allin compartilhou como se deu sua inclusão no combate. Enquanto ajudava seu pai a mudar-se para uma nova casa, soube que Kingston não estaria apto a competir. Foi então que decidiu ligar para Tony Khan, presidente da AEW, propondo sua participação. Khan aceitou, contanto que Allin obtivesse a liberação médica necessária.

Allin explicou que, embora tenha recebido autorização dos médicos responsáveis por seu pé e nariz, além da equipe médica da AEW, ele ainda sente muita dor. Ele revelou que estava em uma viagem de carro com seus pais pelo Parque Nacional de Yellowstone quando recebeu a notícia da lesão de Kingston. Ele ligou para Khan na noite anterior ao Dynamite, expressando surpresa com sua própria capacidade de estar a caminho de Seattle na manhã seguinte.

O lutador também mencionou que, desde sua lesão, ainda não realizou movimentos intensos no ringue, o que adiciona uma camada de incerteza e expectativa para sua performance no Double or Nothing.

ABRIR COMENTÁRIOS