TKO planeja reduzir quantidade de eventos ao vivo da WWE

Medidas de corte de custos incluem menos eventos não televisionados

Mark Shapiro, COO da TKO, falou recentemente na Conferência Global de Mídia e Comunicação da UBS, onde discutiu o futuro dos eventos ao vivo da WWE. Ele anunciou que a WWE está considerando reduzir o número de seus eventos ao vivo como parte de medidas de corte de custos.

Atualmente, a WWE realiza cerca de 300 eventos por ano, dos quais apenas 170 são televisionados. Shapiro explicou que, embora os shows ao vivo ajudem a construir a audiência e a levar a marca para lugares menores, eles são dilutivos do ponto de vista da margem de lucro. Ele mencionou a possibilidade de reduzir alguns desses eventos não televisionados para aumentar a margem de lucro.

Do ponto de vista da margem, eles são dilutivos. Provavelmente há uma oportunidade, à medida que exploramos nossas sinergias e oportunidades de eficiência, de reduzir alguns desses eventos não televisionados, o que, é claro, aumentará nossa margem.

Shapiro também destacou que, após a fusão da WWE com a UFC, a TKO poderia economizar até 100 milhões de dólares com a expectativa de alcançar 75% dessa economia até o final do próximo ano. Ele enfatizou a busca por eficiências na produção, incluindo uma revisão minuciosa dos custos de produção para cada evento e transmissão.

Há muitas eficiências de produção. Mesmo que os chefes de produção queiram me dizer que não, francamente, eu trabalhei na ESPN por 12 anos, supervisionei toda a produção, e passei por todo o vai e vem com cada produtor que trata cada máquina de fita e câmera como se fosse um bebê e não quer desistir dela. E estamos aqui para melhorar nossas margens. Vamos analisar cada dólar gasto em produção para cada evento, cada uma dessas transmissões, e melhorar nossas economias.

Além disso, Shapiro mencionou que a TKO ainda está considerando taxas de locação para eventos da WWE e UFC, citando um acordo na Austrália que gerou 16 milhões de dólares. Ele também observou que o “manifesto” de Vince McMahon, que proibia patrocínios no tapete do ringue e em outros locais na WWE, foi descartado.

ABRIR COMENTÁRIOS